Notícias

Missão em Pauini – Amazonas

Irmãs Pastorinhas continuam a formação das comunidades Ribeirinhas e Indígenas na Paróquia Santo Agostinho.

Pelo quarto ano consecutivo nós Irmãs Pastorinhas das duas províncias brasileiras estivemos na Paróquia Santo Agostinho – Pauini-AM para coordenar a formação das lideranças Ribeirinhas e Indígenas que sempre acontece no mês de novembro.

Primeiramente nos dias 9 e 10 de novembro participamos da Assembleia Paroquial das comunidades da cidade: “Onde a água passa, onde o rio vai gera vida” dizia o Evangelho na missa de abertura da mesma.  Foi assim que sentimos a experiencia dessa Igreja viva de Pauini, que como o Rio Purus onde passa leva a vida de Cristo para todos, como bem ressaltou o pároco, Frei Joseph Shonibare em sua homilia. A experiência que fizemos foi a de ver sentir as pessoas, sobretudo os leigos participando, uma Igreja viva, dinâmica, já assumindo em seu solo as novas Diretrizes da CNBB, buscando ser casa de acolhida sustentada pelos quatro pilares: Palavra-Pão-Caridade-Ação Missionária!

Nos dias 10 a 14 de novembro nos envolvemos na formação das lideranças. É o único encontro formativo do ano para estes leigos batalhadores, que de canoa, voadeira, barco, dirigem-se à sede da Paróquia Santo Agostinho para receber alimento sólido de modo a manter a vida de fé nas comunidades ao longo do ano, visto que recebem a celebração eucarística somente uma ou duas vezes ao ano.

            Desta vez a formação enfocou a dimensão humano espiritual, a vida em comunidade a partir de Cristo, as novas Diretrizes da Igreja no Brasil, o Sínodo para a Amazônia. O ponto central, como sempre foi a formação bíblica, preparando as lideranças para as celebrações dominicais nas comunidades. Foram momentos ricos de fé, partilha, simplicidade e crescimento na dinâmica pessoal e em grupos. Sentimos o crescimento gradual das pessoas, lideranças, fortalecimento das comunidades.

            Após a formação, nos dias 15 a 29 de novembro mais uma vez, juntamente com o vigário paroquial, Frei José Artenildo Alves dirigimo-nos para a Desobriga junto às comunidades do Rio Purus de Cima. Como o Apóstolo São Paulo, que visitando volta e meia as comunidades, sentia seu crescimento, suas dificuldades, edificava com a Palavra e Eucaristia, assim nos sentimos em nossa missão. Bom rever tantos rostos, partilhar de tantas vidas. Louvar a Deus pelos passos dados em cada pequena comunidade. São pessoas felizes por morar neste solo sagrado, muitas crianças e jovens cheios de vida; famílias reunidas, respeito uns com os outros. Sentimos a alegria pelo crescimento e participação intensa das comunidades indígenas. Esforço, união e dedicação para construir a capela. A Igreja de Cristo viva em solo amazônico, mesmo marcada por tantas injustiças e desigualdades sociais.

Saímos mais uma vez edificadas, transformadas pela experiência vivida, por podermos compartilhar o nosso carisma pastoral com essa Igreja necessitada de recursos, mas rica de muita fé.

Agradecemos mais uma vez todos que nos acompanharam com suas preces e tornaram possível prosseguir essa missão, também com ajuda econômica. Por tudo, damos graças ao Senhor.

Irmãs Amelzia S. Dias, Inês Postal e Suzimara B. de Almeida

Irmã Suzimara B. de Almeida

Membro da equipe de comunicação da Província Jesus Bom Pastor, com sede em Caxias do sul-RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Fechar