Área Restrita

NOVENA

Data 30/04/2017 | - Hora 09:47
Postado por Ir. Jeane B. Aguiar
0 comentário(s) ...

 

Terceiro dia – 30 de abril

O Bom Pastor traz a Boa Notícia

 

 

 

Invocação ao Espírito Santo

 

 

Na Escuta e Reflexão

 

 


Do livro do profeta Isaias

Que beleza, pelas montanhas, os passos de quem traz boas-novas, daquele que traz a notícia da paz, que vem anunciar a felicidade,

noticiar a salvação, dizendo a Sião: “Teu Deus começou a reinar!” (…).

 

 

Vamos explodir de alegria, ruínas de Jerusalém, vamos cantar em coro, pois o Senhor consolou o seu povo, recuperou a liberdade para Jerusalém! O Senhor arregaçou as mangas de seu braço santo, enfrentando todos os povos. E, assim, os confins da terra hão de ver a salvação que vem do nosso Deus. (52,7.9-10)


 

 

Do Magistério de Papa Francisco

O capítulo 52 de Isaías começa com o convite dirigido a Jerusalém para que desperte, sacuda a poeira que a cobre, se livre das cadeias que a prendem e vista trajes de gala, porque o Senhor veio para libertar o seu povo (vv. 1-3). E acrescenta: «O meu povo conhecerá o meu nome, naquele dia compreenderá que sou Eu quem diz: Eis-me!» (v. 6). A este «eis-me!» pronunciado por Deus, que resume toda a sua vontade de salvação e de proximidade a nós, responde o cântico de júbilo de Jerusalém, segundo o convite do profeta. É um momento histórico muito importante. É o fim do exílio da Babilónia, é para Israel a possibilidade de voltar a encontrar Deus e, na fé, de se encontrar a si mesmo. O Senhor faz-se próximo e o «pequeno resto», ou seja, o pequeno povo que permanecer depois do exílio e que no exílio perseverou na fé, que atravessou a crise e continuou a crer e a esperar até no meio da escuridão, aquele «pequeno resto» poderá ver as maravilhas de Deus.

Nesta altura o profeta insere um cântico de exultação: «Como são belos sobre as montanhas os pés do mensageiro que anuncia a paz»

Estas palavras de Isaías, sobre as quais queremos meditar um pouco, referem-se ao milagre da paz, e fazem-no de uma maneira muito especial, pondo o olhar não no mensageiro mas nos seus pés que correm rápidos: «Como são belos sobre as montanhas os pés do mensageiro...». Parece o esposo do Cântico dos Cânticos, que corre para a sua amada: «Ei-lo que vem, saltando sobre os montes, pulando sobre as colinas» (Ct 2, 8). Assim também corre o mensageiro de paz, para anunciar a feliz notícia de libertação, de salvação, proclamando que Deus reina.

(14 de dezembro de 2016)

 

 

Da pregação do Bem Aventurado Tiago Alberione

Passareis de um lugar a outro, de uma paróquia a outra, mas sempre levando aquilo que tendes em vosso coração: a fé! A instrução religiosa! E ainda aquilo que tendes em vosso coração: o ódio ao mal, o desejo de salvação. E também aquilo que é do vosso agrado: Jesus! Porque todas as atividades, chamadas pastorais, têm um propósito, ou seja: tirar o pecado e trazer a vida eterna. (…) E pensais nas viagens que fizeram São Pedro e São Paulo, para levar o Evangelho e a salvação, para eliminar o mal, o pecado do mundo e comunicar a vida da graça, que é a vida eterna. Eles partiram, obedecendo ao comando de Jesus: Ide! Euntes! (Mt 28,19; Mc 16,16). Mover-se!

(AAP 1961, 207 e 209)


Para a Oração

Oração ao Sagrado Coração de Jesus

Ó Jesus, Divino Mestre Pastor, dou graças e bendigo à generosidade do vosso coração pelo grande dom do Evangelho. Vós dissestes: “Fui mandado para evangelizar os pobres”. As vossas palavras dão a vida eterna. No Evangelho revelastes mistérios divinos, ensinastes com veracidade o caminho de Deus, oferecestes os meios de salvação. Concedei-me a graça de guardar com veneração o vosso Evangelho, de ler e ouvir segundo o espirito da Igreja e difundi-lo com o amor com que o pregastes. Que ele seja conhecido, venerado e amado por todos. Que, por ele, o mundo oriente a vida e as leis, os costumes e as doutrinas! Que o fogo por vós trazido à terra incendeie, ilumine e anime a todos.

(Primeira parte da Coroazinha ao Sagrado Coração de Jesus)

 

Oração

Ó Deus nosso Pai, que no vosso Filho nos reabristes a porta da salvação, infunde em nós a sabedoria do Espírito, para que entre as insídias do mundo, saibamos reconhecer a voz de Cristo Bom Pastor, que nos dá a abundância da vida. Amem.

 


Leia Mais...


NOVENA

Data 29/04/2017 | - Hora 06:19
Postado por Ir. Jeane B. Aguiar
0 comentário(s) ...

 

 

Segundo dia – 29 de abril

O Bom Pastor é o Amor de Deus que se faz Carne

 

 

 

Invocação ao Espírito Santo

 

 

Na Escuta e Reflexão

 

Da Carta aos Hebreus

Por essa razão, ao entrar no mundo, Cristo declara: “Não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste um corpo para mim. Não foram do teu agrado holocaustos nem sacrifícios pelo pecado. Então eu disse: Eis que eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade, como no livro está escrito a meu respeito”. 8 Na frase inicial, ele disse: “Não quiseste, nem foram do teu agrado, vítimas e oferendas, holocaustos e sacrifícios pelo pecado” – coisas oferecidas segundo a Lei. E então declarou: “Eis que eu vim para fazer a tua vontade”. Com isso, ele suprime o primeiro sacrifício, para estabelecer o segundo. (10,5-9)

 

Do Magistério do Papa Bento XVI

Do horizonte infinito do seu amor, de fato, Deus quis entrar nos limites da história e da condição humana, assumiu um corpo e um coração; de modo que nós possamos contemplar e encontrar o infinito no finito, o Mistério invisível e inefável no Coração humano de Jesus, o Nazareno. (…) Cada pessoa precisa de um “centro” da própria vida, de uma fonte de verdade e de bondade da qual haurir no suceder-se das diversas situações e na fadiga da quotidianidade. Cada um de nós, quando se detém no silêncio, precisa ouvir não só o palpitar do próprio coração, mas, mais em profundidade, o pulsar de uma presença de confiança, perceptível com os sentidos da fé e contudo muito mais real: a presença de Cristo, coração do mundo.

(Papa Bento XVI, Ângelus 1º de junho de 2008)

 

 

Da pregação do Bem Aventurado Tiago Alberione

Uma compaixão que é carregar em si os sofrimentos do amado e compartilhar sua condição. (...) Com amor! É o Filho de Deus que se faz homem. O Pai Celestial deu-O por amor a nós, que éramos pecadores e que somos ainda pecadores. São Paulo diz, isto é, a Escritura diz: «Deus amou tanto os homens, a ponto de dar-lhes o seu Filho, Jesus Cristo» (cf. Jo 3,16; Rm 8,32). E a Escritura ainda diz: «Jesus nos amou e se sacrificou por nós» (cf. Ef 5,2). Eis, Ele o Deus infinito, beatíssimo no céu, veio, fez-se homem e assumiu todas as nossas misérias, o calor e o frio, o sofrimento, e as contradições, etc... e até mesmo o ódio dos homens. (...) Como Ele nos amou: Ele me amou e se entregou por mim (Gl 2,20).

(AAP 1957, 553)

 

  

Para a Oração

 

 

Segunda parte da Coroazinha a JBP

Nós vos damos graças, ó Jesus Bom Pastor, que descestes do céu para buscar a humanidade e reconduzi-la ao caminho da salvação.

Em vós se cumpriu a promessa: Suscitarei entre as ovelhas dispersas um pastor que as reúna e alimente. O pastor caminha à frente do rebanho e as ovelhas o seguem porque reconhecem a sua voz. Tende compaixão dos que se alimentam de mentira e vaidade. Trazei de novo para o vosso caminho os pecadores, sustentai os vacilantes, fortalecei os fracos. Que todos vos sigam, ó Pastor e guarda de nossa vidas! Só vós sois o Caminho, só vós tendes palavras de vida eterna!

 

Oração

Ó Deus nosso Pai, que no vosso Filho nos reabristes a porta da salvação, infunde em nós a sabedoria do Espírito, para que entre as insídias do mundo, saibamos reconhecer a voz de Cristo Bom Pastor, que nos dá a abundância da vida. Amem.


 


Leia Mais...


55ª ASSEMBLEIA DA CNBB

Data 28/04/2017 | - Hora 17:24
Postado por Ir. Jeane B. Aguiar
1 comentário(s) ...

 

INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ TEMA CENTRAL DA 55ª ASSEMBLEIA DOS BISPOS NO BRASIL

 

 

Tema Central preocupa-se com transmissão da Fé

 

Dom Leomar destacou a preocupação do episcopado com o tema da iniciação da vida cristã. Ele abordou algumas preocupações, por exemplo, como a questão da transmissão da fé às novas gerações e a grande preocupação da Igreja em formar não só adeptos, mas discípulos. “É preciso avaliar e dizer quais caminhos retomar”, disse.

 

Para tal a missão dos bispos é traduzir toda a linguagem que for técnica de forma acessível e concreta para a pastoral, por isso o texto tem sido encarado por uma comissão, que constatou que muitas paróquias do Brasil já conhecem a iniciação da vida cristã, mas também o fato de que muitas ainda não chegaram neste ponto, e por isso, o texto visa uma retomada dessa caminhada. “Percebeu-se que o texto deveria ser conciso e que fosse dirigido a um público que seria os catequistas em primeiro lugar, com linguagem acessível, direta e com mudança de prática. Uma renovação paroquial, não é uma reforma de catequese, mas uma conversão pastoral de toda comunidade para acolher, inserir, e comprometer os novos cristãos”.

 

Conferência de Aparecida pode ser traduzida como conversão pastoral

 

Ao falar dos 10 anos da Conferência de Aparecida, Dom Joel revela que não é simplesmente momento de fazer memória, mas refletir o quanto ele é importante. Para ele é importante saber que o Documento de Aparecida é uma mudança não no sentido de como a Igreja se anuncia, mas como exerce sua missão.

 

Ele também refletiu sobre a questão da transmissão da fé, que assim como tem sido refletida nesta assembleia, também já se apresentava no Documento de Aparecida, o que mostra uma igreja preocupada em cumprir a missão. “Aparecida também assume publicamente que não é mais tão tranquila a transmissão da fé naqueles que foram durante séculos os mecanismos tradicionais de transmissão e propõe recomeçar a partir de Jesus Cristo”, aponta.

 

Um aspecto relevante é o fato de não pressupor que Jesus seja conhecido pelas pessoas, mas apresentar a pessoa de Jesus e ajudar a tirar consequências disso. Aparecida mostra que esses 10 anos precisam de mais tempo, porque tudo se transforma com rapidez absurda, no mundo econômico, social, político e cultural. O que servia pra fazer a ponte entre fé e vida foi se mostrando frágil”, disse.

 

O Bispo auxiliar do Rio de Janeiro também lembrou que o Cardeal Bergoglio foi o presidente da comissão de redação do documento. “Ali tem o suor, o emprenho e o esforço daquele homem”, relembrou.

 

Dom Joel finalizou dizendo que é preciso encontrar uma série de riquezas no Documento de Aparecida e que significa que ainda existirá muito tempo de mergulho em detalhes do documento. “Aparecida precisa ainda de muito tempo para ser assimilada”.

Propostas para uma educação enfraquecida

 

Dom João Justino encerrou o dia de coletiva apresentando o quarto ano do projeto Pensando Brasil, que nasceu para ser um espaço de contribuição na sociedade a partir da experiência da Igreja em temas que tocam a sociedade.

Atualmente tem sido trabalhado e pensado uma educação que cuide da pessoa em todas as dimensões humanas.

 

Ele mostrou aspectos relevantes que mostram um aumento no acesso a escola, mas que também traz o desafio da permanência. Segundo o bispo há um enfraquecimento da educação. “A escola tem de ser responsabilidade de todos”, citou.

O bispo também criticou as contínuas reformas na educação que não visam um processo de continuidade.

 

Leia mais

 


Leia Mais...


Navegue nos posts anteriores...


Primeira | Anterior |   1     2     3     4     5     6   | Próxima | Última